Buscar no site:
Grande demanda por curso de Fabricação de Chocolate e Derivados na Ceplac

Foi preciso dividir em três turmas de 20 alunos cada e anunciar que haverão outras turmas em outubro próximo para atender à procura pelo curso de fabricação de chocolate e derivados oferecido pela fábrica de chocolate da CEPLAC.

 

Uma das turmas de capacitandos do curso de chocolate e derivados.

Os cursos começaram a partir do mês de junho e encerraram nesta semana com a capacitação das três turmas, composta por produtores rurais, esposa e filhos, agricultores familiares, profissionais liberais, empresários, artistas, donas de casa, para fazer a transformação de amêndoa de cacau em nibs salgados e doces, fabricação de amêndoas caramelizadas e chocolate amargo em pó, além de fabricar chocolates artesanais em tabletes com 70% de cacau, ao leite, com leite em pó, com leite de coco e com água e gengibre.

 

O curso foi teórico e prático.

Os participantes também ficaram craques na fabricação de doce de sibira, sibira com abacaxi, geléia de cacau, licor e mel de cacau.

 

O curso foi realizado na Fábrica de Chocolate da CEPLAC.

O grau de satisfação dos alunos foi bastante elevado. O agricultor Carlos Magno, da Fazenda Boa Vista, em Ilhéus, por exemplo, afirma que “as fazendas deveriam ser mais agro industriais e há mais tempo; estamos atrasados. Mas, com o apoio da Ceplac agora podemos avançar muito e buscar entender de mercado para vender bem. Na minha fazenda já produzo doce de cupuaçu e, com esse curso, vou começar a aproveitar tudo do cacau, como casca, sibira, mesocarpo, coisas que a gente jogava fora”.

O produtor rural e chocolateiro da Fazenda Limoeiro em Itacaré, José Carlos Maltez, fala que “este curso é de muita utilidade porque começamos só fazendo cacau commodity, depois cacau de qualidade, cacau fino, mas tendo como meta chegar ao chocolate. Com esse curso estamos aprendendo não só a fazer chocolate, mas a valorizar alguns derivados do cacau que são descartáveis como a grande quantidade de mel de cacau, de sibira, de endocarpo, que são coisas aproveitáveis, além, da casca para criar cogumelos, fazer adubos, como grande renda suplementar  para as nossas famílias.  Mais uma vez a CEPLAC está de parabéns e os produtores não podem perder essas grandes chances que esta Instituição nos dá”.

O agricultor Welliton Nascimento, Engenheiro Químico e Produtor Rural da Fazenda Flor do Mundo, em Camacã, diz “Estou fazendo esse curso aqui na CEPLAC para transformar a minha fazenda num agro negócio e diversificar a nossa produção, não só vender o cacau em amêndoa, mas fazer os derivados do cacau para agregar valor ao produto e aproveitar esta oportunidade aqui, deste curso, o mais rápido possível”.

O produtor Antonio Carlos, Funcionário Público Federal da Vigiagro e Economista comenta este curso “está nos dando uma ótima oportunidade de ter novos conhecimentos e descobrir o que poucos sabem, ou seja, que o cacau não é somente a semente, mas uma cadeia de produtos derivados como o doce do endoplasma, o nibs, o mel de cacau, o licor que podemos fazer e exportar, mandar para o mercado externo, interno e com isso gerar novas receitas para nossa região.

 

Jornalista: Raimundo Nogueira

Fotos: Águido Ferreira

Reportagem: José Hamilton Santos

Assessoria de Comunicação da Ceplac
Friday, 8/30/2019