Buscar no site:
CEPLAC/MAPA participa do Primeiro Concurso Nacional de Cacau de Qualidade

Foi divulgado nesta sexta feira em Ilhéus, dia 22, o resultado dos vencedores do Primeiro Concurso Nacional de Qualidade de Cacau, realizado pelo Comitê Nacional de Qualidade de Cacau Especial do Brasil, uma parceria da CEPLAC/MAPA com o Centro de Inovação do Cacau – CIC do Parque Científico e Tecnológico do Sul da Bahia - PCTSul, tendo a Pesquisadora da área de chocolate Neyde Alice como Vice Presidente do comitê. Esse concurso é importante para todos os estados brasileiros que são produtores de cacau, visando o fortalecimento e valorização da cacauicultura nacional.

A CEPLAC foi representada pelo Superintendente Adjunto da SUBES e Chefe de Planejamento e Projetos Especiais, Antonio Zugaib. Participaram também, o Chefe de Pesquisa, Extensão Rural a Assistência Técnica, José Marques, a Pesquisadora da área de Chocolate e Vice Presidente do Comitê, Neyde Alice, o Presidente do Comitê Cristiano Villela e a Reitora da UESC, Adélia Pinheiro.

Na abertura do evento, Antonio Zugaib parabenizou o Parque Científico e Tecnológico através do Centro de Inovação do Cacau – CIC e a UESC, por se integrarem nesse caminho de qualidade e valorização do cacau. Neste momento, a produção brasileira de cacau está vivendo um divisor de águas e esse concurso é um passo à frente. “Hoje, o produtor procura uma melhor qualidade para o seu produto e isso faz com que haja agregação de valor, melhor renda para o produtor de cacau brasileiro. O concurso também viabiliza uma melhor aceitabilidade do cacau brasileiro, com melhoria da sua qualidade, proporcionando mais competitividade no comércio exterior, para que melhore os preços no mercado internacional”. Antonio Zugaib destacou ainda que cada vez mais o cacau brasileiro desponta como um produto de qualidade, com potencial de aromas e sabores e buscar novos nichos de mercado é importante para esse fortalecimento.

A Reitora da UESC, Adélia Pinheiro, ressaltou que o evento é importante para todos, tanto quem produz cacau, quanto para quem consome chocolate. Destacou também que todos os envolvidos e presentes no evento estão sensíveis com as mudanças que ocorrem na região e que a UESC continuará junto ao Centro de Inovação do Cacau – CIC, para fortalecer cada vez mais a cadeia produtiva do cacau.

As inscrições para o concurso foram abertas em agosto/setembro de 2018 e contou com a participação de 54 inscritos dos três maiores estados brasileiros produtores de cacau: Bahia, Espírito Santo e Pará. Para este ano de 2019, a intenção do Comitê é iniciar os períodos de inscrição no primeiro semestre. De acordo com o presidente do comitê, Cristiano Vilela, “temos todo o interesse em continuar e nosso objetivo é fortalecer o cacau da região e do Brasil, atraindo cada vez mais estados produtores, como Pará e Espírito Santo”.  

A primeira etapa seletiva do concurso constou de uma análise química e sensorial das amêndoas e das 54, apenas 22 amostras foram para a segunda etapa. Para a terceira avaliação, o grupo de jurados foi composto de dez produtores de chocolate, três jornalistas e duas Chefes de Cozinha. O Comitê Nacional é responsável por organizar, receber, preparar, analisar e traçar o perfil sensorial das melhores amêndoas que foram premiadas em duas categorias, varietal e blend. Além do concurso nacional de cacau de qualidade, a CEPLAC/MAPA divulgou no mesmo dia, as amostras classificadas para o concuso International Cocoa Awards em Paris.

O concurso International Cocoa Awards em Paris ocorre desde 2009 e o Brasil já participou cinco vezes, obtendo três premiações. São selecionadas 50 amostras globais e as melhores são premiadas com o Certificado de Amêndoa de Excelência, abrindo novas fronteiras para o produtor brasileiro. Neste ano, alguns dos produtores enviaram as mesmas amostras para os dois concursos e foram premiados nos dois.

A Pesquisadora Neyde Alice, destaca que “a amêndoa que é premiada abre um enorme mercado para o produtor e é a nossa chance de provar e manter essa biodiversidade do cacau brasileiro. A amêndoa premiada é aquele cacau que todo chocolate feito com ele será saborosíssimo, porque é um cacau de excelência. É um painel sensorial de vários países que analisam, daí vem a importância desse certificado”. Neyde Alice também parabenizou a todos que participaram do concurso a fim de colocar o cacau brasileiro no mercado, além de valorizar o produtor, os aromas e sabores do nosso cacau.  

Confira a lista dos premiados na categoria Varietal e Blend do Concurso Nacional Cacau de Qualidade:

Categoria Blend:

1º Lugar : Ervino Gutzeit, Fazenda Panorama – Pará

2º Lugar: Elcy Gutzeit Calasans, Fazenda Bom Tempo – Pará

“É super importante melhorarmos a qualidae da nosssa amêndoa cada dia mais, porque até então no Pará ainda não existe essa linha de cacau goumert e nós estamos sendo pioneiros lá no estado. Com todo esse trabalho que está sendo feito nas amêndoas, valoriza, agrega valores e também a melhoria do preço do cacau que é isso aí que todos os cacauicultores almejam”, afirma Elcy que também é mãe do premiado em primeiro lugar na categoria.

3º Lugar: Gleibe Luís Torres Santos, Fazenda Mariglória e Altamira – Itajuípe/Bahia

4º Lugar: Augusto Novaes, Fazenda Theodolinda – Uruçuca/Bahia

5º Lugar: Lucas Moreira Arleo, Fazenda Santa Rita – Uruçuca/Bahia

Categorial Varietal:

1ºLugar: Márcia Fonseca Alves, Fazenda Santa Clara – Linhares/Espírito Santo

“Estamos muito felizes e satisfeitos. Esperamos abrir novos mercados, oportunidades,  e que a gente posso fazer melhores negócios e continuar se mantendo na atividade. Apesar de todas as dificuldades, nós passamos a buscar mais tecnologia e  mais profissisonalismo para poder chegar até aqui e que essa conquista  sirva de estímulo a outros produtores, para que possam vender o seu produto por preços mais justos e melhores. A partir desse primeiro concurso, será um divisor de águas, vai ser uma nova história pro cacau nacional e que muitas coisas boas vão acontecer para todos”, destacou Márcia e seu esposo Emir filho.  

2ºLugar: Rogério Kamei, Fazenda Bonança – Itacaré/Bahia

3º Lugar: João Tavares, Fazenda Leolinda – Uruçuca/Bahia

4ºLugar: David Gerard Pujol, Fazenda Excelência – Bahia

5ºLugar: José Luiz Fagundes, Fazenda Pequí – Bahia

Foram selecionadas pela CEPLAC/MAPA, 8 amostras para o concurso internacional em Paris. Alguns dos produtores enviaram a mesma amostra para os dois concursos, por conta disso, seis dos premiados entra as categorias Blend e Varietal, também foram selecionados para Paris.

Assessoria de Comunicação da Ceplac
Thursday, 2/28/2019