Buscar no site:
CEPLAC treina extensionistas no projeto Cacau de Alta Produtividade

A CEPLAC/MAPA por intermédio do seu Centro de Extensão-CENEX iniciou o treinamento de 25 extensionistas dos escritórios locais dos municípios de Ilhéus, Itabuna e Camacã no projeto Cacau de Alta Produtividade, que prevê a capacitação desses técnicos para prestarem assistência técnica coletiva na implantação e acompanhamento do manejo de alta produtividade, capaz de elevar a produção de cacau acima de 100 arrobas por hectare, o que equivale em torno de cinco vezes mais a média de produtividade regional.

O projeto consiste em um conjunto de técnicas de produção de cacau, atualmente em estágio de validação, em propriedades da região visando a difundir entre os produtores rurais a tecnologia do manejo integrado com ênfase na adubação modular e a polinização complementar, com a retirada de brotos novos e da roçagem sistemática para quebra do ciclo das plantas invasoras.

Uma vez treinados, os extensionistas dos escritórios locais irão trabalhar com a metodologia de assistência técnica e extensão rural coletiva, com grupos de em média 20 produtores. O trabalho  começa com um diagnóstico da propriedade, em visitas individuais por produtor, e a difusão dos  conhecimentos feita de forma grupal, através de seminários, cursos e treinamentos para produtores e seus trabalhadores rurais. Também são feitas excursões com os participantes nas propriedades dos membros de cada grupo, além de reuniões mensais de monitoramento e avaliação das atividades.

Os instrutores desses treinamentos são os técnicos do CENEX  Ivan Costa, Josias Macedo, Milton Conceição e Rosenilton Araújo e a coordenação de Jackson Prado.

O extensionista Ivan Costa diz que “novas técnicas podem elevar muito a produtividade desde que realizadas de forma sistemática. Vamos reciclar os colegas, na parte teórica e depois fazer a parte de adubação  e a parte de prática no campo com polinização, poda e desbrota e todas as práticas que o projeto requer, para eles atenderem às demandas regionais dos produtores”.

O instrutor Rosenilton Macedo diz que “o que estamos fazendo nesse momento é atualizando os diversos técnicos dos escritórios locais nas práticas agronômicas para falar sobre  os clones, cada clone de porte alto, porte pequeno, porte médio, onde cada clone pode ser colocado, na baixada, no terço médio, no alto, falar sobre a fertilidade  de solos, correção com calagem, gessagem, aplicação de fertilizantes, manejo, questão de sombreamento, direcionamento da correção de sombra  no sentido leste oeste etc. então é um conjunto de práticas  para serem desenvolvidas na atividade de cacau com ênfase na alta produtividade, que é perfeitamente alcançável”.

O diretor de pesquisa e extensão Raul Valle observa que “nós temos aqui na região cacaueira uma média de 450 quilos de produção por hectare, entre 15 a 18 arrobas e estamos falando aqui de 100 arrobas como produção média de uma área com mil plantas. Esse negócio é  muito importante  e isso quer dizer que a CEPLAC detém tecnologia para se produzir e elevar a produtividade  e a produção do sul da Bahia”.

Para o chefe do escritório regional da CEPLAC em Itabuna, Edwaldo Pinheiro, “o produtor rural hoje tem uma saída muito  grande  em termos de melhorar a sua  produtividade .  A CEPLAC desenvolveu toda  uma tecnologia  voltada para isso; é um grande desafio e só depende agora do produtor.”

O coordenador do treinamento, Jackson Prado, diz que “a CEPLAC está fazendo um esforço para que em breve estes treinamentos sejam realizados também nos núcleos do extremo sul, Valença, Baixo Sul e Gandu. Eu acho que os produtores tem que se organizar no sentido  de pleitear mais recursos  ao governo federal, mais crédito bancário, principalmente junto aos bancos oficiais, para que haja possibilidade de se fazer esse projeto que está em fase de validação, já vem sendo desenvolvido junto a 48 produtores em Ilhéus e tem apresentando resultados extraordinários” – finaliza.

 

Jornalista: Raimundo Nogueira
Reportagem: José Hamilton -  Fotos: Águido Ferreira

Assessoria de Comunicação da Ceplac
Tuesday, 11/6/2018