Buscar no site:
CEPLAC/MAPA realiza 11º Seminário de Iniciação Científica

Com o tema “O Despertar do Pensamento Científico”, a CEPLAC/MAPA promoveu no último dia 28, no auditório Hélio Reis (Cepec), o 11º Seminário de Iniciação Científica do Centro de Pesquisa e Assistência Técnica e Extensão Rural do Cacau, sob a coordenação do pesquisador Paulo Marrocos.

Durante o evento os pesquisadores da CEPLAC/MAPA realizaram avaliações dos resultados dos trabalhos científicos apresentados pelos estudantes que participam do Programa de Bolsa de Iniciação Científica (PBIC), concedidas pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (FAPESB) e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Ao todo, são 27 bolsistas e este ano, a instituição foi contemplada com mais duas bolsas do CNPQ. Para Paulo Marrocos “esse trabalho é de suma importância para os pesquisadores e para o treinamento dos estudantes, pois desperta o pensamento científico deles e ao longo desse ciclo podem demosntrar interesse em iniciar um mestrado e dar continuidade as pesquisas”.

Muitos dos trabalhos que esses alunos desenvolvem na CEPLAC são importantíssimos para o produtor, por exemplo como melhorar o processo da enxertia e a tolerância às secas do cacaueiro. Dentre os bolsistas que apresentaram trabalho, quatro são orientados pelo pesquisador Dr. Uilson Vandelei. Segundo ele, “essa é uma experiência maravilhosa, principalmente por acompanhar o treinamento desses jovens estudantes para que possam realizar pesquisas científicas de qualidade para o nosso país”.

Ao abordar a temática “Caracterização  histoquímica da enxertia  interclonal do cacaueiro”, o aluno da UESC Gabriel Castro, contou com a orientação do pesquisador Raul René Valle (Chefe do Centro de Pesquisas e Extensão da CEPLAC). O estudante enfatizou que essa é uma grande oportunidade oferecida pela instituição, e sobre o tema “a enxertia do cacau ainda é pouco estudada  atualmente  e essas técnicas histoquímica  é muito importante, pois conhecer essas  características podem adequar melhor a técnica de enxertia para o cacau  e  maximinizar a produtividade”.

Orientada pelo pesquisador Uilson Vanderlei, a estudante da FTC, Bruna Oliveira, apresentou o seu trabalho sobre a temática: Herança da tolerância  a seca do cacaueiro”. “O cacau sofre bastante com a seca e com a estiagem, o que faz a produção diminuir. Esse trabalho ajuda  a saber o clone e qual progene é tolerante ou não á seca”. Ao final ela agradeceu a oportunidade concedida pela CEPLAC no incentivo aos jovens pesquisadores da região.

 

Jornalista: José Carlos Peixoto

Reportagens: José Hamilton – Fotos: Aguido Ferreira

Assessoria de Comunicação da Ceplac
Friday, 8/31/2018