Buscar no site:
CEPLAC/MAPA realiza 1º Curso de Apicultura exclusivamente para mulheres

Destinado exclusivamente ao público feminino, a CEPLAC/MAPA realiza de 5 a 9 de março, o 1º curso de Formação de Criadoras de Abelhas do Brasil, com o objetivo de incentivar cada vez mais a participação feminina no processo de produção apícola e a afirmação da sua independência e empoderamento.

O curso está sendo realizado no Centro de Apicultura da CEPLAC, em parceria com a Universidade Federal do Piauí (UFPI), com uma carga horária de 40 H. Durante a semana, as aulas serão ministradas por cinco professores: Ediney Magalhães (CEPLAC), Prof. Genna (UESB), Profa. Juliana Bendini (Geasp/UFPI) e Profa. Rebeca Hennemann V. De Souza (UFPI).

O conteúdo do curso visa a caracterização das abelhas, importância ecológica, econômica e social da criação de abelhas; noções de manejo na apicultura e meliponicultura, questões de gênero no meio rural e preservação das abelhas: desafios e perspectivas.

Ediney Magalhães, responsável pelo setor de apicultura da CEPLAC/MAPA, enfatiza a importância das mulheres  nessa atividade e que foi estratégico a escolha da data, na semana da mulher, para exaltar e incentivá-las cada vez mais. “Nós estamos mostrando essa atividade para as mulheres e hoje se fala muito em empoderamento feminino, então elas estão querendo entrar mesmo na atividade como alternativa de renda e como uma forma de preservação do ambiente através das abelhas”.

O objetivo do curso é elucidar as principais técnicas de manejo de abelhas africanizadas: da instalação ao beneficiamento de seus principais produtos, enfatizando o mel; fomentar, por meio do conhecimento, o empoderamento das mulheres quanto a criação e preservação das abelhas; promover um plano de ações e diretrizes para a sustentabilidade da criação de abelhas e caracterizá-las.

Participaram do curso, um grupo de 15 mulheres; elas vieram de Basília, Goiás, São Paulo, Piauí e Bahia. Samara de Oliveira, Técnica de Administração, pratica a apicultura há sete meses na cidade de Campo Maior, em Piauí e ressalta a importância desse curso para fortalecer as mulheres. “A apicultura ainda é muito explorada pelos homens, e participar de um curso como esse, nos fortalece psicologicamente. O físico muitos vezes tá bem, mas o psicológico não estar, por enfrentar muito preconceito, não acreditam nas mulheres, eles acham que não vamos aguentar a mioguera, o ninho”, afirma Samara de Oliveira.

A Professora da Universidade Federal de Piauí do curso Educação no Campo, Juliana Bedini, ministra o curso segunda, terça e quarta, abrangendo a parte de biologia e importância econômica e ambiental das abelhas. Ela acrescenta que a ideia do curso surgiu porque “nós vemos as mulheres apenas como ajudante do homem dentro da apicultura, não como protagonistas da atividade, é muito pequena a quantidade de mulheres apicultoras. Observamos que a mulher fica mais nos bastidores, como se o trabalho dela fosse uma ajuda, enquanto na verdade ela pode muito bem ser uma produtora”.

 

Jornalista: José Carlos Peixoto   -  Fotos: Águido Ferreira

Assessoria de Comunicação da Ceplac
Friday, 3/9/2018