Buscar no site:
CEPLAC/MAPA reúne com produtores e agentes financeiros para organizar seminário sobre recursos do Plano Safra

No último dia 19 de julho, o superintendente da CEPLAC/MAPA, Antonio Zugaib, reuniu na sede regional do órgão, com representantes dos produtores de cacau e dos agentes financeiros regionais, visando a organização de seminário para implementação e avaliação dos créditos da cacauicultura disponibilizados pelo Governo Federal, por intermédio do Plano Safra 2017/18, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA.

Participaram do encontro os produtores: Milton Andrade (Presidente do Sindicato Rural de Ilhéus) e Guilherme Galvão. E também os representantes dos agentes financeiros regionais: Anderson Moreira Araújo (B. B. /Itabuna- Encarregado de Política de Governo), Antonio Leite (B. B. de Itabuna/Assessor do Agronegócio), Joselito Andrade (B. B.); Vandelúcia de Souza Alexandre (BNB/Itabuna), Alberto Catarino de Marcos (Superintendente da Caixa Econômica Federal/Itabuna).  

Pela CEPLAC participaram também os técnicos da Área de Crédito do Centro de Extensão da CEPLAC: Geraldo Landim e Roberto José de Souza Santana e João Henrique Silva Almeida (Chefe do Centro de Extensão da CEPLAC) e José Marques Pereira (Chefe do Centro de Pesquisas da CEPLAC).

Durante a reunião, o superintendente da CEPLAC, Antonio Zugaib, acertou com os participantes a programação e a definição do dia 04 de agosto de 2017 para a realização de um Seminário na CEPLAC, visando detalhar a implementação junto aos produtores das linhas de créditos disponibilizadas para a cacauicultura, dendê e açai, no Plano Safra divulgado pelo Governo Federal, que prevê a liberação de R$ 2,13 bilhões.

O Governo Federal ampliou também o prazo de carência de cinco para oito anos. Essa importante medida é um grande benefício para o produtor de cacau e foi possível após pleito feito em Nota Técnica elaborada pela CEPLAC/MAPA, assinado pelo superintendente Antonio Zugaib e o pesquisador Manfred Muller.

Na avaliação de Anderson Moreira Araújo, responsável pela Política de Governo do Banco do Brasil, “é uma iniciativa muito importante da CEPLAC trazer as instituições financeiras mais próximas do Produtor Rural, onde teremos oportunidade de fazer uma apresentação mais detalhada das nossas linhas de credito que estão disponíveis para o produtor rural para que ele realmente cumpra sua função, que é desenvolver melhor a cultura rural aqui na região”.

Na opinião de Vandelúcia de Souza, Agente de Desenvolvimento da Superintendência do Banco do Nordeste, esse encontro preparatório é de suma importância e muito produtivo. “É importante que nós representantes do setor financeiro, dos produtores e a CEPLAC, instituição parceira que detém a tecnologia, estejamos sempre discutindo o cacau na região que é a nossa atividade principal. Estamos disponíveis e preparados para atender esses produtores, temos recursos para aplicar na região desde a agricultura familiar até pequenos, médios e grandes produtores”.

Alberto Catarino de Marcos, representante da Caixa Econômica Federal (CEF), informou que a Caixa enquanto instituição financeira está buscando também a atividade, o financiamento na área de cacau. “Não trabalhamos com o produto ainda, mas já temos iniciativa junto a nossa superintendência das análises de plantio e de todo processo que envolve o cacau para que participemos do processo juntamente com outras instituições”.

Sobre a reunião, Catarino definiu como um momento importante para definição de tarefas. “Colocamos em pauta algumas situações, com destaque para o seminário que vai acontecer no próximo dia 04 de agosto, grande oportunidade para expormos os produtos do Banco. Mas o melhor da reunião é a preocupação que foi demonstrada aqui por todos em retomarmos o crescimento da região do cacau, que mesmo tendo passado por dificuldades já mostrou seu potencial tecnológico e a capacidade do produtor em realizar novos investimentos, claro que com apoio financeiro das instituições”.

Ao final da reunião o cacauicultor Guilherme Galvão,  ressaltou que a realização do seminário é muito importante, mas alertou que é fundamental  resolver o problema de endividamento da região cacaueira. “Enquanto os organismos financeiros não resolverem o endividamento que foi gerado pelo plano de recuperação da lavoura cacaueira, só vai ter acesso a crédito novo para quem não está endividado ou quem comprou fazenda depois da crise”.

O produtor e presidente do Sindicato Rural de Ilhéus, Milton Andrade, disse que a iniciativa da superintendência da CEPLAC de reunir para preparar um seminário sobre crédito para os produtores foi de extrema valia para a região. “Há poucos dias nós fomos contemplados com uma linha de crédito para ser empregado na cacauicultura, onde a CEPLAC/MAPA nos ajudou bastante, a partir de gestões feitas em Brasília pelo Diretor do órgão, Juvenal Maynart e pelo superintendente Antonio Zugaib, que juntamente com Manfred Muller, através de um relatório técnico, conseguiu a ampliação do prazo de carência de cinco para oito anos”.

“Esse conjunto de ações na realidade, foram extremamente positivas para a região, o que nós precisamos é o que foi dito nessa reunião. Pedimos aos agentes financeiros que se empenhem em resolver a questão do endividamento, porque isso permitirá o acesso a esse novo crédito e a região volta a produzir muito cacau. Hoje nós temos tecnologia, através da CEPLAC e o futuro dessa região é grandioso. Depende muito dos agentes financeiros fazerem a parte deles, é isso que nós desejamos”, concluiu Milton Andrade.

Ao final da reunião o superintendente da CEPLAC/MAPA, Antonio Zugaib agradeceu a participação de todos e pediu o empenho dos agentes financeiros para que os recursos disponibilizados cheguem efetivamente ao produtor. Ele informou que a programação do Seminário logo estará à disposição e confirmou a presença no evento do Diretor do Departamento de Crédito e Estudos Econômicos do MAPA, Wilson Vaz de Araújo.

Jornalista: José Carlos Peixoto – Fotos: Águido Ferreira

Assessoria de Comunicação da Ceplac
Friday, 7/21/2017