Buscar no site:
“O PCTSul nasce visando gerar riquezas para nossa região”

Declarou o Superintendente da CEPLAC-MAPA na Bahia em exercício e Presidente do Conselho de Administração do Parque Científico e Tecnológico do Sul da Bahia (PCTSul), Antonio Zugaib, na palestra de apresentação que marcou o lançamento oficial do PCTSul e a inauguração do Centro de Inovação do Cacau (CIC), realizado no último dia 10 de março, no auditório Paulo Souto, na UESC.

Zugaib acrescentou que nesse sentido, é necessário o compartilhamento de conhecimentos entre as instituições que são formadoras desse parque e para isso ele aponta três fatores como essenciais para que o PCTSul se transforme na mola propulsora capaz de promover o desenvolvimento regional: a sinergia, a cooperação e a confiança dos agentes envolvidos no processo.

Ele lembrou ainda que “a nossa querida Ceplac fez a doação de 38 hectares para a construção desse parque tecnológico pensando tão somente no crescimento da nossa região e melhoria para os nossos produtores rurais.”

Idealizado pela CEPLAC,  UFSB, UESC, IFBA e IF-Baiano de Uruçuca, o PCTSul desenvolverá estudos e pesquisas concentrados em quatro áreas estratégicas: Biotecnologia e Alimentos; Engenharias, Logística de Transportes, Cadeias Produtivas e Sistemas Agroflorestais (Cacau e Chcolate) e Tecnologias de Informação e Comunicação. 

Com o lançamento do PCTSul, foi também oficializado o início das atividades do Centro de Inovação do Cacau- CIC, criado para os pequenos, médios e grandes produtores, processadores e pesquisadores da cadeia do cacau em todo o Brasil, com o objetivo de construir, consolidar e difundir conhecimento sobre o cacau e o chocolate, com foco na melhora da produtividade e qualidade das amêndoas.

Tivemos ainda na programação as seguintes palestras: “O Papel de Um Parque Científico e Tecnológico para o desenvolvimento Regional”, com Guilherme Ary Plonski e “A Primeira iniciativa do Parque: O Centro de Inovação do Cacau-CIC”, com Cristiano Villela Dias.

Na opinião do Coordenador Científico do Núcleo de Política e Gestão Tecnológica da USP, Professor Guilherme Ary Plonski, o Parque Tecnológico tem várias importâncias. “E uma delas é ser um espaço de integração entre a comunidade científica tecnológica, a comunidade empresarial, as instituições governamentais e o terceiro setor”.

Ao falar da CEPLAC o professor Plonski criou duas fases para a cacauicultura. “A minha expectativa é que o PCTSul venha gerar o cacau 2.0 (Gestão com inovação aberta), a fase 1.0 foi valiosa e o papel da CEPLAC é um papel notável, eu trabalhei muito com instituições de pesquisa e sou professor de biodiversidade, e tenho um grande respeito pela CEPLAC. Ela já teve uma contribuição fundamental para o cacau 1.0 e também será fundamental para o cacau 2.0 (Gestão com inovação aberta)”.

Jornalista: José Carlos Peixoto

Reportagens: Luiz Fernando e José Hamilton

FOTOS: Águido Ferreira

Assessoria de Comunicação da Ceplac
Tuesday, 3/14/2017