Buscar no site:
Ceplac assinala passagem dos 60 Anos com emoção e compromisso

 

A cerimônia que assinalou a passagem dos 60 anos de criação da CEPLAC/MAPA, realizada nesta segunda-feira, 20 de fevereiro no auditório do Cepec, na sede regional do órgão, foi marcada pela emoção e o estabelecimento de compromisso com o futuro da Instituição.

Estiveram presentes representantes das Prefeituras de Ilhéus, Itabuna, Uruçuca, Itacaré e demais municípios do Sul, Extremo-Sul e Sudoeste, representados pelo prefeito Antonio Damasceno, Presidente da AMURC, Governo do Estado da Bahia, representantes simbólicos do Senado Federal, Câmara dos Deputados, Assembleia Legislativa da Bahia, vereadores, dirigentes de instituições parceiras ligadas à lavoura cacaueira, presidentes de sindicatos rurais, produtores rurais e funcionários da instituição.

O Governador da Bahia, Rui Costa, foi representado no evento pelos secretários de Desenvolvimento Regional, Jerônimo Rodrigues, Agricultura, Vítor Bomfim, Ciência, Tecnologia e Inovação, Vivaldo Mendonça, e Meio Ambiente, Geraldo Reis. Registrou-se também a presença parlamentar através da Senadora Lídice da Mata, deputados federais Davidson Magalhães e Bebeto e da deputada estadual Ângela Souza, além de uma mensagem do Ministro da Secretaria de Governo, do governo Federal, Antonio Imbassahy acompanhado pelo deputado estadual Augusto Castro e a presença acadêmica pelos reitores da UESC, Adélia Pinheiro, e UFSB, Naomar Almeida.

A cerimônia começou, após composição da mesa, com a execução do Hino Nacional Brasileiro, cantado pelo coral formado por funcionários da Ceplac, que também cantou belas músicas populares brasileiras, a exemplo de Como é grande o meu amor por você e Não te esquecerei, que empolgou, enterneceu e arrancou aplausos de todos.

 

A seguir, foram apresentados dois filmetes históricos com passagens de momentos decisivos da trajetória da Ceplac protagonizadas pela forte e solidária relação da Ceplac com dirigentes do Conselho Consultivo dos Produtores de Cacau, iniciativa muito aplaudida.

O Superintendente Regional da Ceplac, Antonio Zugaib, abriu a seção de discursos com saudação e agradecimento a todos que engrandeciam o evento com suas presenças e fez um relato de passagens da história da instituição, ressaltando desde a criação e o estabelecimento do modelo vitorioso de pesquisa-extensão-educação-desenvolvimento regional, rememorando fatos que evidenciavam a capacidade de superação dos vários desafios que a Ceplac enfrentou desde o seu começo, até as atuais restrições que a instituição vem sofrendo em seu modelo original e as dificuldades por que passam a lavoura e os produtores de cacau.

 

Antonio Zugaib foi enfático com o que esperava da Ceplac e da região, colocou sua visão sobre a contribuição do serviço de extensão da Ceplac e afirmou que enquanto fosse dirigente regional lutaria pela integridade do modelo pesquisa-extensão da Ceplac. Apresentou as potencialidades que um modelo autônomo de Ceplac poderia desenvolver em proveito das regiões produtoras de cacau, a exemplo da potencialização do uso das dezenas de clones produtivos e resistentes a doenças, que a Ceplac tem tecnologia para alcançar até 150 @/ha ou mais dependendo do sistema de produção adotado, dependentes apenas do crédito ao produtor, destacou a capacitação dos agricultores na produção do chocolate com alto teor de cacau feita pela Ceplac e a consolidação do parque científico e tecnológico do cacau. Zugaib finalizou exortando as lideranças a darem apoio à constituição de um fundo de apoio e desenvolvimento à cacauicultura, tal como fez o Estado do Pará, e ao plano de revitalização da Ceplac e concluiu: “Só existe região forte com instituições fortes. Nos dê as condições necessárias que responderemos com desenvolvimento”.

A seguir, todos os componentes a mesa registraram suas mensagens, revelando um sentimento de respeito à história e ao legado da Ceplac e ao mesmo tempo estabeleceram compromisso com a luta pelo resgate e a revitalização da instituição.

 

O representante do governador Rui Costa no evento, Secretário de Desenvolvimento Regional Jerônimo Rodrigues observou que “o DNA que está no sangue de todos Ceplaqueanos é o mesmo que corre nas veias dos habitantes de toda região, é impossível falar na região cacaueira ignorando a Ceplac. A Ceplac compartilha todas as vitórias e dificuldades e crises dessa região. Rodrigues ressaltou que nenhuma instituição sozinha pode fazer desenvolvimento e não se faz desenvolvimento sem um bom projeto e aqui na região, as competências instaladas – universidades, Ceplac, instituições públicas e iniciativas privadas - têm inteligência para, sob a liderança do Governo do Estado, estabelecer um plano de desenvolvimento para essa rica região.” O secretário recebeu das mãos do funcionário da Ceplac Antonio Fernando Ribeiro, documento de revitalização da instituição e prometeu encaminhar e discutir com o Governador Rui Costa.

  

O Secretário de Ciência e Tecnologia Vivaldo Mendonça fez sua intervenção na qual expressou muita emoção ao afirmar que além de Secretário de Estado, falaria também como Ceplaqueano que foi em sua trajetória e formação e que lutaria por uma nova repactuação das relações para uma Ceplac forte. “A Ceplac é a casa em que o produtor tem que se sentir à vontade, utilizar seus serviços, seja na produção de flores, mel, peixes ou chocolate. A Ceplac tem serviços que podem estar aptos a funcionar 24 horas por dia em benefício dos produtores e da região.” Mendonça entregou um documento de compromisso da secretaria que dirige, em parceria com a UFSB para construção e instalação do parque tecnológico regional, no qual envolve a modernização dos laboratórios do Centro de Pesquisas do Cacau, com investimentos até o ano de 2019. No final do seu pronunciamento o secretário Vivaldo Mendonça entregou a Ceplac um troféu como o reconhecimento do estado pelo trabalho desenvolvido pela Ceplac.

 

O Secretário de Meio Ambiente, Geraldo Reis, assegurou que todos os programas e convênios estabelecidos entre a SEMA e a Ceplac serão honrados e as portas da Secretaria estarão abertas para o estabelecimento de novas parcerias. O Secretário também disse identificar na região plenas condições institucionais para o estabelecimento de um plano de desenvolvimento regional liderado pelo governo do Estado.

 

A senadora Lídice da Mata, que é considerada uma das presenças políticas mais determinadas e representativas das lutas da cacauicultura, fez um belo discurso de solidariedade à Ceplac e ao cacau e afirmou “quero dar um viva aos 60 anos da Ceplac, dando um viva à nossa luta, de fibra e garra. Precisamos ir em busca de vitórias, com a capacidade de nos unirmos em torno das lutas que o cacau e a Ceplac precisam para aproveitarmos as novas tecnologias, a economia criativa, a industrialização do cacau e a produção de chocolate para o Brasil e para o mundo, o turismo rural, e aproveitarmos as oportunidades e as potencialidades que temos aqui na região do cacau”.

 

A Reitora da Universidade Estadual de Santa Cruz, professora Adélia Pinheiro,  referiu-se à Ceplac como “uma instituição indispensável para participar da construção de uma  ambiência de produção de conhecimento científico e tecnológico em benefício do sul da Bahia, juntamente com a UESC, a UFSB e Institutos Federais. A minha satisfação e reconhecimento à Ceplac nesses 60 anos, especialmente na época da FESPI”.

 

O Presidente da Associação dos Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste-AMURC, e prefeito do Município de Itacaré, Antonio de Anízio referiu-se à Ceplac como um patrimônio vivo e vibrante da região e conclamou a classe política e todos os prefeitos representados pela instituição que dirige para que façam em suas comunidades mobilização em apoio à Ceplac. Antonio de Anízio afirma ainda que a AMURC fará uma marcha a Brasília para defender interesses municipalistas e que vai incluir na pauta de reivindicações ao governo Federal o apoio à revitalização da Ceplac.

 

O Reitor da Universidade Federal do Sul da Bahia, Naomar Almeida, afirmou que “para mim os 60 anos da Ceplac é uma oportunidade de contribuição e de construção solidária entre as instituições para o desenvolvimento da região cacaueira. Estamos fazendo um programa integrado envolvendo UFSB, CEPLAC; UESC e o governo Federal em que as instituições contribuem para revitalizar os laboratórios da Ceplac e vamos restaurar a capacitação científica e tecnológica do órgão. Se não existisse a Ceplac, a UFSB não estaria aqui e isso é de grande importância para a nossa região cacaueira que sempre valorizou a nossa Ceplac.”

 

O Deputado Federal Davidson Magalhães revelou que propôs “formar um grupo de trabalho para tratar da Ceplac, do cacau e do chocolate levando em consideração o futuro da Ceplac. Nesses 60 anos, temos que agradecer aos funcionários que é o grande patrimônio que a Ceplac tem, foram eles que construíram não só a instituição, mas que mudaram a nossa região positivamente e dizer que ele continua nessa luta e coloca seu mandato à disposição dos esforços pela revitalização da Ceplac e o seu fortalecimento”.

 

O Deputado Federal Bebeto, declarou que “os 60 anos da Ceplac para mim representam um momento de alegria em que o passado dialoga com o futuro e pensar na Ceplac nessa trajetória de 60 anos é compreender o papel relevante que ela desempenhou na difusão das culturas rurais da nossa região, na afirmação do desenvolvimento nas pesquisas, na extensão e na educação, da economia rural, da economia do cacau da nossa região, mas pensar também no papel dos técnicos, dos pesquisadores da Ceplac e o relevo que eles tem tido e as contribuições para a Bahia, para o Brasil.”

 

 Produtores de cacau Fred e Elias Gedeon, Guilherme Galvão e Sergio Vieira.

O produtor rural Guilherme Galvão, na foto entre companheiros produtores, fez um pronunciamento incisivo, cobrando pressa às autoridades do Estado brasileiro no cumprimento de promessas aos produtores “que vivem do que produzem”. Ele lembrou a necessidade da contratação de funcionários para a Ceplac “que não cumpriram até agora”, cobrou a criação de um fundo de desenvolvimento da cacauicultura e de aval para os produtores “com a destinação de recursos das perdas de patrimônio dos produtores” e citou “a perda de prédio na Av. Rio Branco, no Rio de Janeiro, da perda do prédio-sede da Ceplac em Brasília e do CNPC na região, das perdas das áreas e instalações das Emarc’s que poderiam ser transformadas em valores e colocadas nesse fundo do produtor, porque tudo foi feito com o dinheiro dos produtores. Queremos esses recursos dos produtores de volta e temos pressa, para não comprometermos o futuro da cacauicultura”.

 

O Enganheiro Agrônomo e Extensionista Roberto Setúbal, do Centro de Extensão da Ceplac/Cenex, fez um pronunciamento marcado pela emoção daqueles que amam a instituição na qual trabalha e a ela dedica o melhor dos seus esforços profissionais. Veja trechos:

“Meus amigos, esta é uma Instituição séria. Ao longo de sua longa história não se registram casos de comprometimento que não seja com o benefício do produtor de cacau e as regiões cacaueiras.

Ter pesquisa e extensão é um privilégio único no contexto das instituições agropecuárias brasileiras. A Ceplac tem e, hoje, é modelo para o governo Federal implantar o sistema ANATER de assistência técnica e extensão rural. Mas nós conseguimos isso com trabalho, com dedicação e com exemplos. Nós temos grandes extensionistas, responsáveis por um admirável trabalho de difusão tecnológica entre pequenos produtores, elevamos a produção brasileira de cacau, temos colegas que saiam da hemodiálise e vinha direto cumprir suas obrigações como funcionário da Extensão na Ceplac, exemplo desse ícone da extensão da Ceplac que é Ivan Costa e Souza.

É isto que nos dá força para defendermos o modelo ceplaqueno Pesquisa-Extensão com muita garra e dignidade!”

Que 60 anos que nada! Nós temos é a idade dos séculos em que se cultivam cacau na região, desde que a primeira semente foi colocada no solo sul baiano. E a Ceplac tem buscado honrar esta tradição! A Ceplac é a nossa profissão de fé na região e na cacauicultura.”

Ao final do seu pronunciamento Roberto Setúbal foi demoradamente aplaudido de pé por todo o auditório.

 

 HOMENAGENS

  

 Maria Irene (Nina) e Sergio Vieira - Filhos do Saudoso José Haroldo Castro Vieira

“Meu pai era tudo para mim e qualquer homenagem que venha para ele é bem recebida porque ele nessa região foi uma das pessoas que mais lutaram por tudo que tem aqui e também lutou bastante pelo fortalecimento da nossa querida Ceplac. Para todos nós ele foi um bom pai, maravilhoso, que fez tudo de bom para nossa família. Nós ficamos muito gratificadas por essa homenagem ao meu pai e agradecemos muito à direção da Ceplac por essa grande ideia.”

 

Jorge Ribeiro Carrilho – Presidente do sindicato Rural de Eunápolis, de Buerarema e Presidente do CNPC (Conselho Nacional dos Produtores de Cacau).

“Hoje com 91 Anos de idade essa homenagem para mim é um reconhecimento muito bondoso pelo que fiz por merecer e fiz muita força para isso. Fico satisfeiticíssimo, levo esta lembrança para os dias que me restam pois na idade que eu estou isto tem muita validade e graças a Deus ainda estou vivo para receber essa homenagem.

Eu lembro que tivemos o prazer de fundar o Sindicato Rural de Eunápolis e depois fui nomeado Presidente do Sindicato Rural de Buerarema. Lutei muito para fazer um bom trabalho e esses 60 anos da Ceplac representam uma saudade muito grande de nossas lutas.

Lembro que brigamos muito quando o Ministro da Agricultura tomou o prédio da Ceplac em Brasília e naquele tempo nós brigamos muito por isso. Lembro muito bem que muitas estradas da região foram feitas pela equipe de funcionários da Ceplac e até a ponte de Ilhéus que vai para a cidade de Una e o Porto de Ilhéus foram feitas pela Ceplac.

Todos lembramos muito bem que naquele tempo nós produtores pagávamos os 10 por cento com muita satisfação pois nós sabíamos que teríamos retorno através dos trabalhos da Ceplac.

Minha mensagem é aquela muito conhecida CLAMA NECESSIS e isso eu estou dizendo para todos os funcionários da Ceplac que clamem e não parem até conseguir erguer novamente a nossa Ceplac pois ela é muito importante para nós, para a nossa região cacaueira e para todo o Brasil.”

  

Produtores homenageados Henrique de Almeida, Jorge Carilp Pinto e Thiago Barreto Machado

  

 Raimundo Pereira dos Santos – Auxiliar Operacional Agropecuário – CEPEC/SEGEB/SERPE

 

 Maria das Graças Brito dos Santos – Agente Administrativo – CEPEC/SEDIV/SERPE

  

 Ivan Costa e Sousa – Auditor Fiscal Federal Agropecuário – CENEX/SEOSP/SERAT

 

 Olívia da Silveira Barreto Santos – Agente Administrativo/SUEBA

 

 Edna Dora Martins Newman Luz – Auditor Fiscal Federal Agropecuário - CEPECSERPE

 

 Valmar Fernandes da Silva – Agente de Atividades Agropecuário – CENEX/ERVAL

  

 Dilmani de Jesus Ribeiro da Silva - Aposentada

 

 Roque da Rocha Neves – Auxiliar Operacional em Agropecuária – SUEBA/DISAF

  

 Manoel Marcio de Souza Almeida – Agente Administrativo – SUEBA/DISAF

  

Ana Flávia Abdo Guimarães – Assistente Social – Sueba/DISAF

 

 José Ramos – Agente de Portaria – CENEX/SETAD

  

Marcos José da Silva – Agente de Atividades Agropecuárias - SUEBA

 

 Erivaldo de Souza – Agente de Comunicação Social - SUEBA

                                   

Agradecimentos

   

A Superintendência Regional da Ceplac registra seus agradecimentos às instituições, empresas e pessoas que colaboraram para o êxito deste evento:

Coopec, Free hand, ANFA Sindical e a Comissão Organizadora do Evento.

Jornalista: Raimundo Nogueira

Reportagens: José Hamilton e Luiz Fernando

Fotos: Aguido Ferreira

Assessoria de Comunicação da Ceplac
Wednesday, 2/22/2017