PRODUÇÃO DE FRUTOS DOS PALMITEIROS JUÇARA, PUPUNHA E AÇAÍ


INTRODUÇÃO

As palmeiras juçara (Euterpe edulis Mart), a pupunheira (Bactris gasipaes Kunt) e o açaizeiro (Euterpe oleracea Marth), são as três principais palmeiras produtoras de palmito e apresentam a particularidade de também produzir frutos de alto valor nutritivo e econômico.

Porém, o maior consumo dos frutos dessas palmeiras, principalmente a pupunha e o açaí, ocorre nas regiões onde elas são nativas.

O uso da polpa dos frutos da juçara ainda está sendo fomentado, mas já tem grande aceitação no sul e sudeste do Brasil, como Santa Catarina, Paraná e São Paulo. Na Bahia o seu consumo ainda é incipiente, por falta de esclarecimento da população local sobre esta possibilidade, haja vista que a juçara era conhecida apenas como produtora de palmito. No entanto, análises realizadas pelo Laboratório de Tecidos Vegetais da Ceplac por Silva et al. (2004) atestaram o valor nutritivo do fruto da juçara, comparado ao do açaí como mostram as tabelas abaixo:

Tabela 1. Composição mineral da polpa dos frutos de açaí e juçara, na Matéria Seca.

 

Espécies

Elementos minerais

P

(g/kg)

K

(g/kg)

Ca (g/kg)

Mg (g/kg)

Fe (mg/kg)

Zn (mg/kg)

Cu (mg/kg)

Mn (mg/kg)

açaí

1,4ª

7,4 b

4,8ª

1,4ª

328,5 b

10,1 b

20,4ª

34,3ª

Juçara

0,8b

12,1ª

4,3ª

1,5ª

559,6ª

12,2ª

14,0 b

43,4ª

Fonte: Ceplac/Cepec/Sefis, 2004
P= fósforo; K= potássio; Ca= cálcio; Mg= magnésio; Fe=ferro; Zn=zinco; Cu= cobre; Mn = manganês.


Tabela 2. Características químicas da polpa de açaí e juçara na matéria seca

 

Espécies

Características química

PH

 

Proteína

g/kg

Açucares tot.

g/kg

Lipídio

g/kg

Caloria

Kcal/100g

Açaí

4,8ª

 

77,6ª

10,2b

130,90b

152,93

Juçara

4,7ª

 

67,2b

12,08ª

137,80ª

155,74

Fonte: Ceplac/ Cepec/Sefis

Pesquisas realizadas por outros autores, constaram teor de antocianina, pigmento presente em ambos frutos, em maior quantidade na juçara (Iaderoza et al. 1992). Esse pigmento pertence à família dos flavanoides, que possui função antioxidante e anti-radicalar que asseguram uma melhor circulação sanguínea e protegem o organismo contra o acúmulo de placas de gordura. As antocianinas possuem ainda capacidade de adiar as perdas de memória, da coordenação motora, perda da visão e diminuem os efeitos do mal de Alzheimer (Rogez et al. 2000).

A bebida feita com o fruto do açaí, conhecido popularmente como “vinho de açaí”, é largamente consumido pelos habitantes da região norte do Brasil onde é nativa, e, com a divulgação das suas propriedades nutritivas e energéticas o uso da polpa de açaí generalizou-se em todo o país e o cultivo do açaizeiro e o processamento do seu fruto, já ocorrem em vários estados brasileiros, principalmente no sul da Bahia. A polpa de açaí hoje, é produto de exportação para os EEUU.

O fruto da pupunheira, conhecido como pupunha, é largamente consumido na região amazônica e em outros países da América do Sul e na América Central, onde é encontrada em estado nativo. Embora o palmito seja atualmente o principal produto da pupunha em termos econômicos, nas regiões de origem, o fruto continua sendo o principal produto de consumo.

CARACTERÍSTICAS BOTÂNICAS E USOS DOS FRUTOS DA JUÇARA, AÇAÍZEIRO E PUPUNHEIRA NA ALIMENTAÇÃO

1. JUÇARA

A juçara é uma palmeira unicaule, não produz perfilhos, o que significa que a extração do palmito implica no sacrifício da planta. Essa atividade quando é realizada sem critérios ou sem cuidados com a sustentabilidade ambiental, pode comprometer a continuidade da espécie e de vários animais que se alimentam de seus frutos. Quando feita desta forma, essa atividade tem o nome de extrativismo, e é considerado crime ambiental, previsto na Lei de Crimes Ambientais - Lei 9.605 de fevereiro de 1998. Em curto prazo, uma possibilidade de agregar recursos financeiros aos remanescentes florestais onde existe juçara, seria a colheita de frutos para produção de polpa.

O uso pode ser feito da mesma maneira que a polpa de açaí: puro ou misturado com outras polpas de frutas regionais, com granola, guaraná em pó, como sorvete, entre outros. Em lanchonetes no eixo Ilhéus-Itabuna, a polpa de juçara já é ofertada, porém em pequeno volume, devido à escassez do fruto. Segundo os distribuidores, está tendo grande aceitação, chamando atenção para o sabor mais adocicado que o de açaí.

A extração da polpa e os cuidados pós-colheita seguem os mesmos procedimentos realizados para a extração da polpa de açaí, descritos a seguir.

2. AÇAÍ

O açaizeiro é uma palmeira que produz inúmeros perfilhos formando touceiras, que são manejadas para a extração de palmito. Face à pressão dos órgãos ambientais, vários projetos de manejo sustentável dos açaizais estão sendo implementados no Pará, visando principalmente a produção de frutos, que além do alto consumo local, (no meio rural o açaí é consumido três vezes ao dia) tornou-se produto de exportação para vários estados do Brasil e para o exterior do país.

A polpa de açaí é consumida pelos habitantes da região amazônica com farinha de mandioca ou tapioca, com peixe frito, no feitio de sorvetes, pudins, doces, entre outros, porém, sempre o açaí puro, sem misturar com outras frutas como é usado nas regiões sul e sudeste do país. Nestas regiões, a preferência é o açaí misturado com granola, banana, guaraná, originando o “açaí na tigela”, ou como suco, sempre misturado com outras polpas mais conhecidas.

Procedimentos do processamento da polpa:

1. colheita dos cachos
2. debulhamento dos frutos;
3. lavagem em água corrente e de boa qualidade;
4. imersão em água morna (40º C) por 15 minutos para amolecimento da polpa;
5. despolpamento em maquinário apropriado, ou, quando em pequenas quantidades, em liquidificador sem o cortador de hélice ou em peneira de malha grossa, amassando manualmente os frutos. O tempo de batimento não deve ser demorado (4 a 6 minutos), para evitar alteração na qualidade da polpa;
6. se a extração for manual o produto deve ser coado; as despolpadeiras mecânicas possuem sistema de filtragem e o produto já sai isento de impurezas;
7. o produto obtido deve ser usado imediatamente ou conservado sob congelamento.

3. PUPUNHA

A pupunheira também é uma palmeira que perfilha e pode chegar a 20 metros de altura. No Brasil, na região amazônica e no Peru, Costa Rica, Equador, Colômbia, entre outros da América Tropical, a pupunha é muito apreciada e consumida, constituindo-se em valoroso alimento para esses povos.

A pupunha é um fruto carnoso, muito rico em nutrientes, principalmente em caroteno, precursor da vitamina A e não pode ser consumido cru, porque possui uma enzima, que inibe a digestão das proteínas, e um ácido que irrita a mucosa da boca. Normalmente é consumidos simplesmente cozido com água e sal, podendo ser acompanhado de manteiga, maionese, mel e geléia. Pode ser usada como legume, em ensopados, em sopas, vitaminas, entre outros. Como farinha, é usada nos feitios de diversas iguarias domésticas.

Procedimentos para se obter a farinha, em nível caseiro.

1. Lavar os frutos em água de boa qualidade
2. Abrir os frutos em bandas para sacar as sementes;
3. Descasca-los e coloca-los para cozinhar por aproximadamente 30 minutos.
4. Após o cozimento, colocar os frutos para escorrer a água e para esfriar.
5. Se o fruto estiver muito úmido, devem ser colocados para secar um pouco ao sol ou em forno médio a mínimo, por 5 a 10 minutos.
6. Passar o fruto no moinho ou no ralo, peneirando em seguida, se quiser um produto fino tipo amido de milho. Está pronta para ser usada em feitios de bolo, pão, paçoca, canjica, mingaus, entre outros.

Para uso imediato da farinha, sem necessidade de secagem, deve-se utilizar frutos mais secos, não muito maduros e evitar cozimento excessivo.

Procedimentos para se obter a farinha com grande quantidade de frutos

1. Abrir os frutos para sacar as sementes
2. Lavá-los em água de boa qualidade
3. Ralar os frutos cozidos no mesmo maquinário usado para a obtenção da farinha de mandioca.
4. Levar a massa ralada para secar em forno de farinha de mandioca em temperatura branda por 40 a 45 minutos, mexendo continuamente para não embolar.
5. Peneirar a massa seca para separar as cascas e outras impurezas, que podem ser fornecidas para animais de pequeno porte (galinha);
6. Esfriar e armazenar a farinha em vasilhames hermeticamente fechados.

COMO MANEJAR OS PALMITEIROS PARA PRODUÇÃO DE FRUTOS

1. JUÇARA

Como a juçara é nativa da Mata Atlântica, os frutos são encontrados naturalmente nas populações que ainda existem nos remanescentes florestais da região. Um dos cuidados que se deve ter, após a extração da polpa, é em repor as sementes nas áreas onde os frutos foram colhidos. As sementes podem ser semeadas na mata a lanço, ou em pequenas covas abertas com a ponta do facão, em local não muito sombreado para permitir o desenvolvimento mais rápido da planta.

2. AÇAÍ / PUPUNHA

1. Sementes: devem ser sadias de boa qualidade. A semeadura é realizada em canteiros compostos de areia e serragem curtida, em partes iguais, em local protegido da luz solar, próximo a água para facilitar a rega, que deve ser diária. A germinação inicia-se 30 dias após a semeadura (para a pupunha) e em poucos dias para o açaí.
2. Preparo da muda: os sacos de polietileno, com capacidade de 2 kg, devem ser cheios com terriço de boa qualidade ou enriquecido com esterco de gado, na proporção de 1 parte para 3 de solo. Podem ser mantidas sob sombra de uma árvore frondosa ou em viveiro, com cobertura de palha ou outro tipo de cobertura.
3. A transferência da plântula para o saco de polietileno, deve ocorrer antes do lançamento da segunda folha. Dois meses após essa transferência, adubar as mudas com pulverização ou regas, utilizando uma solução de 50 g de uréia para 10 litros de água. Aos 90 e 120 dias, pulverizar com uma solução de 50 g de uréia e 30 g de cloreto de potássio, para 10 litros de água.
4. As mudas devem ser mantidas sem ervas daninhas, e isentas de pragas e doenças; o produtor tem que estar atento a qualquer sinal de anormalidade, e chamar um técnico para diagnosticar e indicar o defensivo apropriado.
5. Após 4 a 6 meses de viveiro, as mudas estão aptas para serem transplantadas. Um mês antes, porém, faz-se um raleamento na cobertura do viveiro, para adaptação das mudas às condições do campo.
6. O plantio é realizado em época de chuva, com mudas sadias e vigorosas, apresentando altura entre 30 a 40 cm, com 5 a 6 folhas.
7. A área do plantio deve estar limpa e balizada no espaçamento de 4 x 4, para o açaí, se for plantio solteiro ou de acordo com o espaçamento do consorte, de maneira que o plantio não fique muito adensado para não prejudicar a produção de frutos. A pupunha deve ser plantada a pleno sol, no espaçamento 5 x 5 m (400 plantas / ha) estimando-se uma produção de até 20 ton de frutos / ha. É possível o plantio em Sistemas Agroflorestais com cacau, cupuaçu, entre outras, onde a pupunha entra como sombreamento para os consortes e o espaçamento será de acordo com a espécie consorciada. Pode ser implantados nas linhas de cultivo, inicialmente, inhame, batata doce, mandioca e outros cultivos de ciclo curto.
8. As covas, na dimensão de 40 x 40 x 40 cm, devem ser adubadas com 100 g de superfosfato triplo colocado ao fundo. Misturar na terra retirada dos primeiros 20 cm, 5 litros de matéria orgânica e reencher a cova com essa mistura, 30 dias antes do plantio.
9. A adubação deve ser realizada de acordo com os resultados da análise do solo. Mas, pesquisas realizadas na Ceplac (Reis, 1997), indicam as seguintes recomendações para a pupunheira, que por falta de resultado de pesquisa para o açaizeiro, o autor supra citado recomenda a mesma tabela, para as condições de solos regionais. (Quadros 1 e 2):

Quadro 1. Adubação de pupunheira nos três primeiros anos de desenvolvimento

FERTILIZANTES

(g / planta)

IDADE DAS PLANTAS

(meses)

 

2

4

8

12

16

20

24

28

34

Uréia

20

20

40

40

40

40

40

60

60

Superfosfato triplo

-

-

-

-

100

-

-

100

-

Cloreto de potássio

-

20

-

20

20

-

20

20

20

Fonte: Ceplac/Cepec.1997
 

Quadro 2. critérios para adubação da pupunheira em produção

NUTRIENTES

(kg / ha)

IDADE DAS PLANTAS

(meses)

 

40

46

52

58

64

70

Nitrogênio (N)

 

 

150

 

 

150

 

150

 

150

 

150

 

150

Fósforo (P2O5)

Mehlich (mg/dm3): < 5

6 – 16

 

200

100

 

-

-

 

200

100

 

-

-

 

200

100

 

-

-

Potássio (K2O)

Mehlich (cmol/dm3 ): <0,09

0,10 – 0,25

 

50

25

 

50

25

 

50

25

 

50

25

 

50

25

 

50

25

Fonte: Ceplac/Cepec. 1997

1. Algumas pragas e doenças ocorrem no plantio, e mais uma vez o produtor deve consultar um técnico ao primeiro sinal de anormalidade nas pupunheiras.
2. Nos plantios de frutos de pupunha, deixar além da planta matriz, 2 a 3 perfilhos por touceira, que serão cortados para extração de palmito à medida que apresentarem o diâmetro adequado. Quando a planta matriz apresentar altura que dificulte a colheita dos frutos, deve-se planejar deixar esses perfilhos para produzir frutos, em uma possível substituição da planta matriz. Esse processo é seguido continuamente, ao longo do ciclo reprodutivo da espécie.
3. Nos plantios de produção de frutos de açaí, a partir de dois anos de campo, retirar o excesso de perfilhos nas touceiras, eliminando os mais fracos e os mal formados, deixando 3 perfilhos por touceira de tamanhos diferentes, bem distribuídos ao redor da planta, além da planta matriz, que deve ser mantida até que a sua altura dificulte a colheita. Quando isto acontecer, deve-se planejar o corte da planta matriz e simultaneamente, deixar que novos perfilhos, em número máximo de 4 (um por ano), se desenvolvam para a substituição dos perfilhos antigos. Todos os perfilhos potencialmente produzirão frutos, em número médio de 3 cachos por perfilho, pesando de 1,5 a 2 Kg de frutos / cacho. Se o produtor optar em produzir fruto e palmito no mesmo cultivo, o recomendável é deixar 4 a 6 perfilhos para serem manejados para palmito.
4. Colheita: a pupunha começa a produzir frutos a partir de 3,5 a 4 anos de campo. As primeiras produções geralmente apresentam muitos frutos partenocárpicos, (sem sementes), sendo alguns de coloração verde e de aspecto alongado e outros com aparência de fruto normal. Porém, com o tempo, a tendência é diminuir essa incidência, pois os insetos que fazem a polinização começam a ser colonizados na área, que aliada ao manejo adequado do plantio, promoverão a fecundação e o desenvolvimento de frutos normais. Os cachos devem ser aparados com lona para evitar contaminação e perdas de frutos no impacto com o solo.
5. A colheita do açaí começa após 3,5 a 4 anos de campo, a depender do sombreamento do plantio. A pleno sol inicia mais cedo. Os cachos também devem ser aparados com lona.
6. Tanto o fruto de pupunha como o de açaí são bastante perecíveis, principalmente o açaí, que mesmo sob refrigeração não se conserva por mais de 12 horas, sob pena de alteração da cor e do sabor. A pupunha não deve ultrapassar 24 horas de colhida, em temperatura ambiente, pois como é muito amilácea, pode ocorrer o processo de fermentação.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

IADEROZA, M. et al. Antocyanins from fruits of açaí (Euterpe oleracea, Mart) and juçara (Euterpe edulis mart). Tropical Science, London, England, 32, p. 41-46, 1992.

REIS, E. L. Adubação da Pupunheira para produção de palmito no Sul da Bahia. Folder. Ceplac / Cepec, 1997.

ROGEZ, H. Açaí : Preparo, Composição e Melhoramento da Conservação. Belém, EDUFPA, 2000, 313 p.

SILVA, M. G. C. P. C., BARRETTO, W. S. & SERÔDIO, M. H. Caracterização Química da Polpa dos Frutos de Juçara e de Açaí. In XVIII CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA. Florianópolis, Santa Catarina, 22 a 26 de novembro de 2004.. Anais... CD ROOM, Florianópolis, SC, 2004.

 

1 Engª Agrônoma, MSc Ceplac/Cepec/Sefop . Km 22 Rod Ilhéus – Itabuna, Itabuna, Ba.Cx Postal 07 CEP 45600-970
gracaparada@cepec.gov.br

Maria das Graças C. Parada Costa Silva¹