Fertirrigação do cacaueiro no Estado do Espírito Santo

 

INTRODUÇÃO

Devido ao problema da escassez e da má distribuição das chuvas no Estado do Espírito Santo e, dos resultados positivos que a pesquisa irrigada em cacau vem demonstrando na Estação Experimental da CEPLAC em Linhares. Ultimamente, tem havido uma grande corrida para a irrigação nas lavouras cacaueira no Estado. Hoje, estima-se que cerca de 11.000 Ha, estejam sendo irrigados por diferentes sistemas. Felizmente, hoje a pesquisa já dispõe de informações valiosas sobre o uso de fertilizantes solúveis. O objetivo do presente trabalho, foi testar diferentes formulações de adubos solúveis existentes no mercado, através do sistema de irrigação por micro aspersão instalado na ESFIP, como também a sua economicidade.

MATERIAL E MÉTODO

O sistema utilizado para a realização da fertirrigação foi o de microaspersão instalado na QUADRA “E” e “F”, da ESFIP em cacaueiros safreiros híbridos de CATONGO X SCAVINA-6. A lâmina de irrigação aplicada era de 30mm semanal de acordo com as características do solo e necessidade da planta. Foram utilizadas 4 formulações diferentes receitadas pela Jaraguá de acordo análises de solo e planta realizados pelos laboratórios do CEPEC e da Companhia Eletroquímica Jaraguá, Holambra–SP. O delineamento experimental foi de blocos casualizados com 5 tratamentos (100 plantas) e 5 repetições (20 plantas). Os parâmetros estudados foram: frutos sadios, frutos ruins, peso úmido das amêndoas e peso seco das amêndoas e os custos da nova tecnologia. De acordo com o QUADRO 1, se ver a formulação e quantidade utilizada por tratamento.

QUADRO 1- Nº DE TRATAMENTOS, FORMULAÇÕES E QUANTIDADES DE ADUBOS APLICADOS
 

 

TRATAMENTOS

 

FORMULAÇÃO

QUANTIDADES PARA 1100 PLANTAS  OU Kg/Há.

 

1

 

(12-06-37)+Mg+S+ME

Nitrato de Amõnio

Kg/ semana

Kg/ano

29,4

3,8

1.530

197

2

(16-10-28) + Mg+S+ME

31,0

1.613

3

(16-10-28)+ Mg+S+ME

(13-36-13)+ Mg+S+ME

(20-5-20)+ Mg+S+ME

15,2

5,7

9,5

790

296

494

4*

(30-90-30)

Cloreto de Potássio

------------

------------

190

50

5

testemunho

------------

-----------

*Formulação recomendada pela CEPLAC, aplicada a lanço e fracionada em 2 vezes ao ano.

RESULTADOS FÍSICOS

O QUADRO-2, apresenta os resultados dos 5 tratamentos por ano (Total do período,1,2 e 3,) cujos parâmetros estudados foram, frutos sadios, frutos ruins, peso fresco e peso seco. Os dados estudados e analisados foram os de peso seco transformados em Kg/há, com stand de 1100. Observa-se que os tratamentos 1,2,e 3 superam em quantidades os tratamentos 4 e 5 em todos os anos e no total.

Observando a FIG-1, em que mostra a produção de cacau seco Kg/ha no período de 2002 a 2003, verifica-se que os tratamentos 1,2,3 não foram significativos entre si estatisticamente, entretanto, o 1 e 2 se mostram significativos em relação ao 4 e o 5.

A FIG-2, em que mostra a produção de cacau seco Kg/ha no período de 2003 a 2004, verifica-se que os tratamentos 1,2, não foram significativos entre si estatisticamente, entretanto se mostram significativos em relação ao 3,4, e o 5.

A FIG-3 em que mostra a produção de cacau seco Kg/ha no período de 2004 a 2005, verifica-se que os tratamentos 1,2 e 3 não foram significativos entre si estatisticamente, entretanto se mostram significativos em relação ao 4, e o 5. e estes não se diferenciam.


A FIG-4, mostra diferenças significativas expressivas de produção entre os anos (1,2, e 3), em decorrência de anos mais chuvosos e da precipitação melhor distribuídas.
 

QUADRO-2

 

Resultados pesquisa FERTIRRIGAÇÃO EM CACAU - CEPLAC - Linhares - ES

 

TOTAL

 

 

 

 

 

Por hectare com

 

 

 

 

gramas

40 % =

 

% sob T-4

1.110

pl/ha

 

 

Frutos

Frutos

Peso

Peso seco

Peso/fr

peso

 

 

 

colheita

Sadios

ruins

fresco

calculado

fresco

seco

kg/seco

sc/ha

arr/ha

T-1

28.698

262

2.016.900

806.760

70

178

9.627,5

160,5

641,8

T-2

26.302

173

1.896.120

758.448

72

168

8.822,2

147,0

588,1

T-3

24.743

200

1.728.760

691.504

70

153

8.070,6

134,5

538,0

T-4

13.836

171

1.130.890

452.356

82

100

5.704,3

95,1

380,3

T-5

13.323

121

1.027.470

410.988

77

91

4.904,1

81,7

326,9

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ano 1: 30/07/2002 até 03/07/2003

 

 

Por hectare com

 

 

 

 

gramas

40 % =

 

% sob T-4

1.110

pl/ha

 

 

Frutos

Frutos

Peso

Peso seco

Peso/fr

peso

 

 

 

colheita

Sadios

ruins

fresco

calculado

fresco

seco

kg/seco

sc/ha

arr/ha

T-1

8.881

88

645.560

258.224

73

151

2.866,3

47,8

191,1

T-2

8.548

57

630.720

252.288

74

147

2.800,4

46,7

186,7

T-3

7.474

71

528.760

211.504

71

123

2.347,7

39,1

156,5

T-4

5.277

54

428.770

171.508

81

100

1.903,7

31,7

126,9

T-5

4.712

34

363.360

145.344

77

85

1.613,3

26,9

107,6

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ano 2: 01/08/2003 até 05/07/2004 (4 meses sem Fertirrigação)

Por hectare com

 

 

 

 

gramas

40 % =

 

% sob T-4

1.110

pl/ha

 

 

Frutos

Frutos

Peso

Peso seco

Peso/fr

peso

 

 

 

colheita

Sadios

ruins

fresco

calculado

fresco

seco

kg/seco

sc/ha

arr/ha

T-1

10.489

98

629.310

251.724

60

278

2.794,1

46,6

186,3

T-2

8.581

67

522.270

208.908

61

231

2.318,9

38,6

154,6

T-3

7.902

74

465.460

186.184

59

206

2.066,6

34,4

137,8

T-4

3.288

56

226.020

90.408

69

100

1.003,5

16,7

66,9

T-5

2.367

53

150.070

60.028

63

66

666,3

11,1

44,4

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ano 3: 05/08/2004 até 25/07/2005

 

 

Por hectare com

 

 

 

 

gramas

40 % =

 

% sob T-4

1.110

pl/ha

 

 

Frutos

Frutos

Peso

Peso seco

Peso/fr

peso

 

 

 

colheita

Sadios

ruins

fresco

calculado

fresco

seco

kg/seco

sc/ha

arr/ha

T-1

9.328

76

742.030

296.812

80

156

3.967,1

66,1

264,4

T-2

9.173

49

743.130

297.252

81

156

3.702,9

61,7

246,8

T-3

9.367

55

734.540

293.816

78

154

3.656,3

60,9

243,6

T-4

5.271

61

476.100

190.440

90

100

2.797,0

46,6

186,4

T-5

6.244

34

514.040

205.616

82

108

2.624,5

43,7

174,8

 

1110

Plantas por hectare: Extrapolação da área de pesquisa - média anual do PRIMEIRO ANO.

 

 

 

Receita extra

Fertilizantes

Dif.

 

 

 

 

Preço arroba

Custos a mais

por ha/ano

 

TRATAMENTOS:

arr/ha

 R$           60,00

por ha/ano

 

 

T-1

Esquema MAXSOL - 1

191

 R$           3.850

 R$   3.437,62

 R$     412,57

= LUCRO

T-2

Esquema MAXSOL - 2

187

 R$           3.587

 R$   3.242,16

 R$     344,47

= LUCRO

T-3

Esquema MAXSOL - 3

157

 R$           1.776

 R$   2.806,50

 R$ (1.030,68)

= PREJUÍZO

T-4

Esquema tradicional CEPLAC

127

 R$                  -

 R$      500,00

 R$            -  

 

T-5

Sem adubação.

108

 R$          (1.162)

 R$     (500,00)

 R$    (661,68)

 

 

 

 

 

 

 

 

1110

Plantas por hectare: Extrapolação da área de pesquisa - média anual do SEGUNDO ANO.

 

 

 

Receita extra

Fertilizantes

Dif.

 

 

 

 

Preço arroba

Custos a mais

por ha/ano

 

TRATAMENTOS:

arr/ha

 R$           60,00

por ha/ano

 

 

T-1

Esquema MAXSOL - 1

186

 R$           7.162

 R$   3.437,62

 R$  3.724,81

= LUCRO

T-2

Esquema MAXSOL - 2

155

 R$           5.261

 R$   3.242,16

 R$  2.019,24

= LUCRO

T-3

Esquema MAXSOL - 3

138

 R$           4.252

 R$   2.806,50

 R$  1.445,95

= LUCRO

T-4

Esquema tradicional CEPLAC

67

 R$                  -

 R$      500,00

 R$            -  

 

T-5

Sem adubação.

44

 R$          (1.349)

 R$     (500,00)

 R$    (848,87)

 

 

 

 

 

 

 

 

1110

Plantas por hectare: Extrapolação da área de pesquisa - média anual do TERCEIRO ANO.

 

 

 

Receita extra

Fertilizantes

Dif.

 

 

 

 

Preço arroba

Custos a mais

por ha/ano

 

TRATAMENTOS:

arr/ha

 R$           60,00

por ha/ano

 

 

T-1

Esquema MAXSOL - 1

264

 R$           4.680

 R$   3.437,62

 R$  1.242,38

= LUCRO

T-2

Esquema MAXSOL - 2

247

 R$           3.624

 R$   3.242,16

 R$     381,84

= LUCRO

T-3

Esquema MAXSOL - 3

244

 R$           3.432

 R$   2.806,50

 R$     625,50

= LUCRO

T-4

Esquema tradicional CEPLAC

186

 R$                  -

 R$      500,00

 R$            -   

 

T-5

Sem adubação.

175

 R$            (696)

 R$     (500,00)

 R$    (196,00)

 

1110

Plantas por hectare: Extrapolação da área de pesquisa média anual sobre o TOTAL DE 35 MESES.

 

 

 

Receita extra

Fertilizantes

Dif.

 

 

 

 

Preço arroba

Custos a mais

por ha/ano

 

TRATAMENTOS:

arr/ha

 R$           60,00

por ha/ano

 

 

T-1

Esquema MAXSOL - 1

220

 R$           5.380

 R$   3.437,62

 R$  1.942,84

= LUCRO

T-2

Esquema MAXSOL - 2

202

 R$           4.276

 R$   3.242,16

 R$  1.033,83

= LUCRO

T-3

Esquema MAXSOL - 3

184

 R$           3.245

 R$   2.806,50

 R$     438,81

= LUCRO

T-4

Esquema tradicional CEPLAC

130

 R$                  -

 R$      500,00

 R$            -  

 

T-5

Sem adubação.

112

 R$          (1.097)

 R$     (500,00)

 R$    (597,33)

 

 

OBS:

1-Necessitamos observar que durante um período de 4 meses (janeiro até abril 2004) não houve a aplicação de fertilizantes por causa de problemas técnicos no equipamento (roubo da bomba e o tempo necessário para substituí-la). As diferenças nos resultados poderiam ser maiores.

2- A pesquisa de mercado em Linhares mostrou que os preços médios aplicados no 2º e 3º ano foram de R$ 60,00/@, e no 1º ano foi de R$ 117,50/@

3- Mesmo em uma lavoura de plantas seminais, os resultados foram positivos.

CONCLUSÕES

1-A fertirrigação na cultura do Cacau é uma nova tecnologia que em três anos de pesquisa provou ser lucrativa para o produtor.

2- As formulações solúveis foram as que melhor apresentaram produtividade;

3-A rentabilidade foi calculada tendo com referência a adubação preconizada pela CEPLAC, tratamento 4;

4- A produtividade do tratamento 1 em relação ao tratamento 4 varia de 264,4 @ a 66,9 @, a depender do a

5- O tratamento 1 foi o que apresentou maior lucro, em todos os anos e no total do período, assim sendo será esta formulação a ser indicada para fertirrigação do cacau no Estado do Espírito Santo;

6- Um próximo passo seria a implantação de uma área com clones tolerantes a VB e altamente produtivos, plantados mais adensados, para avaliar os resultados da fertirrigação.Com certeza atingirá produtividades nunca imaginadas na cultura de Cacau.

 

 

Paulo Roberto Siqueira
Wilhelmus Tomomas Josef Mulder
Carlos Alberto Spaggiari Souza