Associativismo, Sistemas Agroflorestais e Produção Orgânica: uma estratégia para conservação e desenvolvimento no contexto rural da região cacaueira da Bahia


A Mata Atlântica é considerada uma das áreas de maior prioridade para a conservação do planeta, devido a sua diversidade Biológica e elevado grau de ameaça. No município de Una, sul do estado da Bahia, localiza-se a Reserva Biológica de Una (REBIO), unidade de conservação federal de proteção integral, criada através do decreto 85463 do ano de 1980. Embora o Decreto Federal determinasse uma área de 11400 hectares (ha), até o ano de 1999, somente 7022ha haviam sido adquiridos pelo executivo federal, com o apoio de organizações internacionais. A regularização do restante da área decretada deverá estar concluída até o final de 2004.


Intervindo de forma abrangente, o IESB vem propondo políticas públicas, desenvolvendo metodologias e ferramentas de análise ambiental, fomentando a implementação de alternativas econômicas na utilização dos recursos naturais e capacitando pessoas locais, através de parcerias com instituições de pesquisa, ONG's locais e nacionais, universidades e agências governamentais.


Neste processo, identificou-se a necessidade de fortalecer a organização das associações comunitárias rurais, como etapa indispensável para uma efetiva conservação dos recursos naturais e promoção de bases para o desenvolvimento sustentável. Também, era crítica a realidade da comercialização de produtos agrícolas dos pequenos e médios produtores tradicionais e assentados pela reforma agrária, a presença de uma rede de comercialização primitiva, onde o produtor distante geograficamente e com pequena quantidade e grande variedades de produto era presa fácil para atravessadores experientes.

A Produção Orgânica e as Oportunidades para a Região Cacaueira da Bahia

O diferencial da produção orgânica está na oferta de produtos saudáveis (livre de agrotóxicos), na possibilidade de atender mercados diferenciados (onde consumidores estão dispostos a pagarem um sobre-preço como prêmio à qualidade dos produtos), nas relações justas de produção e na preservação ambiental.


A Região Cacaueira da Bahia apresenta um contexto bastante favorável para consolidação de um pólo de Agricultura Orgânica Agroflorestal, observando especialmente os aspectos da conservação da biodiversidade e produção familiar, como pode ser observado nos diversos aspectos abaixo enumerados:


1. A meso-região cacaueira com 51 municípios, concentra mais de 80% da produção de cacau do estado e da sua área cultivada, cerca de 350 mil hectares, 70%, estão implantadas sob mata raleada (cabruca), conforme CEPLAC/CENEX (1999);
2. Regra geral a partir de 1984, quando se deu a restrição aos financiamentos para o cacau, houve uma redução na aplicação de agrotóxicos. Além disso, dentre os diversos aspectos negativos apresentados pela enfermidade vassoura de bruxa, a não recomendação comercial de agentes químicos para o seu controle, revela-se como positivo, desmotivando a aplicação de pesticidas e estimulando as pesquisas na área de controle biológico;
3. Associa-se estes elementos ao grau máximo de interesse conservacionista atribuído a este ecossistema, destacando-se os projetos: “Reserva da Biosfera da Mata Atlântica” e “Corredores Ecológicos” em fase de implementação.
 

Joaquim Blanes, Luis Lima, Walter Lima
Marcelo Araujo, Luis de Lima
Instituto de Estudos Sócio-Ambientais do Sul da Bahia
Caixa Postal 84 Ilhéus – Bahia CEP 45652-180