GENOMA

 

O conhecimento do genoma do cacaueiro (Theobroma cacao) e do fungo (Crinipellis perniciosa) causador da vassoura-de-bruxa, através do mapeamento e caracterização genética de ambos, permitirá identificar as interações ou relações existentes entre o patógeno (fungo) e o hospedeiro (cacau) e então delinear as estratégias para a criação de plantas altamente resistentes ou imunes á vassoura-de-bruxa.

Este é o objetivo da "Rede Genômica no Estado da Bahia para o controle da vassoura-de-bruxa, reunindo as instituições que detém a maior competência no país, na área da Engenharia Genética ou da Biotecnologia, como a UNICAMP, CEPLAC, EMBRAPA e UESC.

O projeto iniciado no final de 2000, está sendo acelerado com a incorporação de mais quatro laboratórios de biologia molecular,  e os trabalhos já começaram a dar resultados. Foi identificada uma enzima presente no próprio fungo que poderá ser utilizada no seu controle.

O banco de dados do Projeto já tem mais de 7 mil seqüências genômicas do fungo, resultando em mais de cinco milhões de pares de bases determinadas. A estimativa dos pesquisadores é que o fungo tenha entre 20 a 30 milhões de pares de bases e cerca de 8 mil genes. Entre as muitas seqüências já realizadas, destacou-se alguns genes de fundamental importância para que esse trabalho fosse descoberto; os genes que expressam proteínas conhecidas como quitinases, celulases e hidrofobinas, que podem estar envolvidas nos processos que o fungo usa para casar doença no cacaueiro e muitos outros podem estar relacionados à vassoura-de-bruxa.

A direção do Cepec, reconhece que o sequenciamento por si só não tem validade prática apesar da importância científica. O sequenciamento deve ser seguido pela interpretação daquelas seqüências e uso da informação obntida para gerar tecnologias que ajudem o produtor na luta contra a vassoura-de-bruxa. O trabalho desenvolvido pelo projeto, vai desde a formulação de novas moléculas de fungicidas até a criação de cacau transgênico resistente a doenças, principalmente, à vassoura-de-bruxa.

Quando tais genes forem identificados, eles poderão ser transferidos por engenharia genética ou cruzamentos dirigidos para variedades suscetíveis à vassoura-de-bruxa, tornando-as resistentes. Outro possível uso é a transferência de tais genes para plantas já resistentes à vassoura-de-bruxa, para torná-las com uma resistência mais duradoura. Além da sua função no controle da vassoura-de-bruxa, o sequenciamento será importante o controle da podridão-parda, do mal-do-facão e até de outras doenças que não ocorrem em território brasileiro, como a monília.

Pesquisas biotecnológicas com o fungo causador da vassoura-de-bruxa já vinham sendo realizadas pela CEPLAC desde 1993, mesmo antes do convênio. A CEPLAC investiu cerca de R$ 1,2 milhões na construção da infra-estrutura necessária como laboratórios, equipamentos e treinamentos, para deslanchar as pesquisas em biologia molecular.

Rede Genômica - Atribuções

CEPEC - Além do sequenciamento comum a todos os laboratórios envolvidos, o CEPEC, atua na seleção e fornecimento do material biológico, do fungo e do cacaueiro, a ser usado nas diferentes etapas do projeto. Também na otimização de protocolo de regeneração do cacaueiro, que permita a obtenção de plantas trangênicas com genes de interesse, incluindo-se aqueles responsáveis pela resistência à vassoura-de-bruxa.

Na fase de pós sequenciamento, os cientistas do CEPEC atuam na coleta de dados para identificar genes, processos bioquímicos e celulares, onde a ação do fungo causador da vassoura-de-bruxa possa ser bloqueada.

UNICAMP e UESC

A Universidade de Campinas (UNICAMP), coordena o projeto genoma, orienta a construção de bibliotecas genômicas para sequenciamento, confecciona e analisa chips de DNA. Ela ainda cuida do armazenamento, processamento e fornecimento das seqüências geradas para os laboratórios participantes da rede. A Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) é responsável pela confecção de bibliotecas genômicas e transformação genética do fungo.

EMBRAPA

Ficou a cargo da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária através do Centro Nacional de Genética e Biotecnologia (Cenargen), a identificação de genes associados à infectividade e patogenicidade do fungo e de genes associado à resistência do cacaueiro à vassoura-de-bruxa. A EMBRAPA também é responsável pelo desenvolvimento de protocolos otimizados para transformação e regeneração do cacau através de métodos biobalísticos e ainda pela confecção de bibliotecas de DNA, estágio especifico de chips de DNA.